Realizações‎ > ‎2015‎ > ‎Rodapé Cultural‎ > ‎

TEORIA DA INCERTEZA

Publicado a 15/10/2015, 01:50 por CCAM   [ atualizado a 15/10/2015, 01:50 ]

O campo é vasto de exemplos negativos, insucessos e frustrações.
Ou seja, não se conhecendo e respeitando em profundidade as variadas bases e campos sociais do sistema educativo (as condições sociais dos alunos, a qualificação dos docentes, os atributos endógenos das diferentes regiões do país, a valia dos equipamentos educativos, a idiossincrasia da comunidade local, etc., - só para citar alguns dos elementos determinantes), não é possível garantir o resultado final! Apenas é possível prever que algo aconteça!
E as reformas de modelo único, talhadas para vestir um país inteiro, diversificado e heterogéneo, esgotam-se rapidamente na arrogância do poder e na avidez das “contra-reformas”…
Sinal trágico de um país ainda à procura da identidade.
E também da sapiência que falta na governação e no sistema.
O conhecimento e cautela do “PRINCÍPIO DA INCERTEZA” pelos doutos ministros da nossa educação conduziriam a melhores resultados.
Assim o penso.